DÚVIDAS SOBRE VACINAÇÃO

21:21


Diante de tantos surtos, doenças que já havíamos erradicado e que voltam com força em nosso país, volta também a mídia a constante e importante notícia sobre a vacinação. Porém, para quem vive o dia a dia, pais e mães que levam seus filhos para vacinar, por exemplo, se deparam com despreparo e dúvidas dos profissionais.

Para alinharmos melhor toda a importância de uma carteira de vacinação completa, convidamos a Dr Melissa Palmieri, coordenadora de vacinas do grupo Hermes Pardini para falar sobre dúvidas, mitos e verdades sobre a vacinação.

A primeira dúvida é relacionado a medicação x vacinação. Qual é a melhor medida a se tomar? Vacina ou aguarda um prazo? Segundo Dr Melissa, o ideal é ser adiada quando a criança apresenta um quadro febril. A orientação é que após 24 a 48 horas se faça a vacinação. Já em casos em que a criança está sendo medicada para algum tipo de tratamento, é importante questionar um profissional da saúde se é necessário o adiamento da imunização por algum período. Como, por exemplo, remédios de corticosteroide de uso crônico. Neste caso, os pais devem questionar o médico se é necessário um espaçamento maior para que a vacinação seja feita.

Quando se perde determinada vacina, é possível tomar com qualquer idade ou o indivíduo não pode mais tomar após a data indicada na caderneta,?
Em geral, se a criança tem alguma vacina atrasada, é possível fazer a atualização da carteirinha a qualquer momento. A única exceção no calendário de vacinação da criança, em que se deve respeitar os prazos rigorosamente, é a vacina do rotavírus. A primeira dose deve ser feita até 3 meses e 15 dias, e a segunda dose até antes do bebê completar 8 meses. Se os pais perderem o prazo, a imunização não pode mais ser feita. Todas as outras vacinas, mesmo que atrasadas, devem ser aplicadas.     
- O que fazer quando se perde o cartão de vacinação?
Caso a pessoa perca a carteirinha de vacinação, e isso vale para bebês, crianças e adultos, é encarado como se a pessoa não tivesse feito qualquer vacinação. Então, neste caso, todas as vacinas devem ser tomadas novamente de acordo com as recomendações para a idade. O ideal é procurar um profissional da saúde para que ele indique as vacinas necessárias a cada faixa etária. 
 - É necessária a revacinação da criança que perdeu seu cartão, para um novo controle?
Se a criança não tem mais o cartão de vacinação, a mãe pode tentar ir ao serviço de saúde onde a imunização foi realizada e tentar pedir uma segunda via com os registros das vacinas. Uma outra possibilidade é que o pediatra solicite análises sorológicas, para verificar se a criança está protegida e se as vacinas devem ser feitas ou não. Mas não são todas as doenças em que essa análise sanguínea é possível. Nesses casos, a imunização deve ser refeita. Caso nenhuma alternativa anterior seja possível, a criança terá de ser imunizada novamente para todas as vacinas.  
- Quais os maiores motivos para a não vacinação das crianças?
Acredito que há uma questão de que nenhum pai gosta de ver o filho chorar por uma picada, já que a maioria das vacinas são feitas de forma intramuscular. Outro motivo é que os pais estão mais tranquilos. Com a alta cobertura vacinal do passado, algumas doenças graves como sarampo, poliomielite, difteria e tétano praticamente desaparecerem. Houve um esquecimento no consciente coletivo, já que os pais de hoje se beneficiaram dessa ampla cobertura vacinal e não se lembram dessas doenças graves. Um terceiro motivo são as correntes de antivacinação. Essas correntes têm pouca expressão no Brasil e ganharam mais força no exterior. Aqui, existe confiabilidade no Programa Nacional de Imunização e nas sociedades científicas. Por isso é um esforço constante dos profissionais de saúde para que as ideias antivacinação não ganhem expressividade no país.        
- Quero reorganizar o calendário vacinal do meu filho e ficar em dia. O que devo fazer?
Sempre procurar um profissional de saúde nas salas de vacinação- seja no serviço público ou privado- levar a carteirinha de vacinação dos filhos e, assim, os pais serão orientados sobre quais vacinas devem ser realizadas para a faixa etária de cada criança. E, claro, consulte o pediatra que sempre vai estar atualizado sobre as doenças mais importantes para as quais a criança deve estar protegida.  


Relembrando que, qualquer dúvida, a melhor opção é procurar seu pediatra e questionar com ele qual o melhor caminho a se tomar. E não deixe de vacinar seu pequeno!


VOCÊ PODE GOSTAR DE ...

0 comentários

Web Analytics