Uma carta para meu marido!

💙
30 junho 2016




Meu marido sempre diz que trabalha demais. Que está exausto, cansado. Não que eu duvide disso, afinal são longas 16, muitas das vezes 18 horas por dia fora de casa.
Porém, todas as vezes que ele me diz que trabalha muito, eu também digo que trabalho demais e tenho a ligeira impressão que a frase fica perdida e que no pensamento dele vem a imagem de que eu passo os dias vendo TV, com as pernas para o ar, jogada no sofá.
Diante disso, resolvi escrever essa carta aberta para ele e todos os maridos que acham, que por sermos mães e donas de casa, temos o privilégio de ficar em casa e não "trabalhamos" como eles acham!

Querido Bruno,
Sim! São seis da manhã e eu já estou de pé. Lógico que meio tonta, afinal de contas o Caio choramingou a noite inteira e enquanto você dormia tranquilamente eu alternava mamadas com alguns breves cochilos.
Enquanto estou fazendo o café da manhã da família, já coloquei a nossa cadelinha para fazer suas necessidades, peguei o Caio que ameaçou chorar e acordar você. Não iria deixar que isso acontecesse, já que chegou cansado do trabalho ontem.

Enquanto a água do café ferver, troco a fralda do Caio, penteio seu cabelo e escovo seus dentes, lutando com seus bracinhos que querem abrir a torneira, dar a descarga, abrir o vaso sanitário e puxar as toalhas. Após lutar 15 minutos de MMA com um bebê de 1 ano, finalizo vitoriosa sua higienização e o coloco na sala com alguns brinquedos. Isso o distrairá por uns 5 minutos, tempo que eu tenho para terminar o café da manhã, separar sua roupa de trabalho e chamá-lo para sentar-se à mesa.
Enquanto você calmamente toma seu café, checando seus e-mails. Eu me transformo em um polvo tentando tomar café e dar atenção ao Caio (nessa hora também ofereço o seu café da manhã, torcendo para que ele coma como um rapazinho e não faça AINDA mais bagunça na cozinha).
Nos levantamos e enquanto tento trocar de roupa, pentear os cabelos, corro atrás do Caio para que ele não mexa nas tomadas, no fio do telefone ou em qualquer outro objeto perigoso. Tem dias que só a tarde lembro que não escovei os dentes de manhã (parece nojento, mas é verdade!).

Daí você sai para trabalhar e eu, continuo a trabalhar. Coloco o Discovery Kids para tentar arrumar a cozinha, mas o que o diverte mesmo é tirar todas as minhas panelas do armário. Tirada todas e aquela bagunça feita. acaba a graça. Enquanto isso, eu termino de dar um jeito na zona, Caio já quer mamar para tirar seu cochilo da manhã.
Você nesse momento deve estar pensando: "Bom, agora ele dorme e ela assiste o Encontro com a Fátima Bernardes!". 
Apesar de parecer tarde, ainda não passamos das 10:30hs. Caio dorme e eu corro para colocar roupa na máquina, lavar os banheiros, preparar o almoço e ... quando acho que vai dar tempo, eis que surge nosso pequeno anjo engatinhando!
Pausa para dar atenção ao bebê. Colo, carinho, beijinho, brincadeira ... ups! Meu feijão vai queimar!!!
Coloca o menino no chão aos berros, olha as panelas, pega mais brinquedo para distrair. Ele resolve brincar com as panelas de novo! "ok, você venceu!"
Hora do almoço: Coloca o Caio na cadeira, ele come, ele cospe, ri, quer água, não quer comer, resolve que quer comer, dança, ri enquanto eu pulo, brinco e faço qualquer coisa para que ele se alimente bem. Tiro da cadeira, ofereço uma fruta. Já é hora de brincar na varanda, para que ele veja a luz do dia.

Deixo a louça na pia, limpo o Caio, luto MMA de novo para escovar seus dentes e lá vamos nós brincar um pouco na varanda.
Enquanto Caio brinca, eu entre uma jogada de bola e outra, vou tentando organizar a sala. 
Depois passamos para o balanço e enquanto ele é embalado, vou varrendo a sala, a varanda e a área.

Lembro que tenho que pagar as contas. Pego o celular, vou pagando as contas e brincando com ele.
Já são quase 15 horas e o Caio vai tirar sua soneca. É o tempo de engolir a comida, tirar da máquina a roupa que já bateu e colocar no varal. Colocar mais roupa na máquina, Dobrar as que estão secas e guardar. Juntar todos os brinquedos, arrumar os quartos, lavar a louça, passar pano na casa, escovar os dentes e finalmente ... ufa! A essa hora parece que já passou um trator em cima de mim.
Caio acorda e é hora do lanche. Levo ele comigo para a cozinha, preparo algo bem saudável, nos sentamos para comer. Lembro que esqueci de alimentar a pobrezinha da nossa cadelinha.

Coloco do dvd do MPBaby. Enquanto Caio se diverte com as músicas, eu acabo de limpar a casa. Corro para colocar a roupa no varal, sem antes por mil vezes repetir "Não coloca a mão aí", "Tira o dedinho da tomada", "Não mexe no som".
Já está na hora de preparar o jantar. Enquanto descongelo algo, dou banho no Caio, com direito a músicas e muitas brincadeiras. Depois do relaxante banho e um delicioso mamá o coloco para brincar enquanto preparo o jantar.
Após a comida ter sido feita, é hora de jantar, colocar o Caio para dormir e finalmente... 

Finalmente, juntar toda a bagunça espalhada pela casa, passar mais uma vassoura no piso sujo, receber o marido com um sorriso aberto, colocar a mesa e jantar.
Nessa hora me dou o direito de saber o que houve no mundo exterior e ligo a televisão.
Ah, esqueci de citar que nesse meio tempo, faço 5 coisas básicas por mim: escovo os dentes, almoço, tomo banho, vou ao banheiro e janto. Todas elas acompanhadas do Caio e sem gastar mais que 2 horas para executar todas elas. Juro!

O que quero dizer com isso é que acredito que você trabalhe, fique exausto e estressado. Mas quero que entenda que eu trabalho MUITO, MUITO E MUITO! E que também chego a exaustão! Só quero que entenda que ficar em casa não é sinônimo de não fazer nada!

7 comentários on "Uma carta para meu marido!"
  1. Desculpa mas não pude deixar de rir em alguns trechos e, me identificar claro!!! Mas algumas coisas são invertidas aqui, por exemplo, o choro da madrugada quem escuta é ele kkk.

    Meu marido valoriza a profissão ser mãe e me ajuda no que pode. Acho que vai de cada um. Meu pai quase nunca carrega as minhas meninas, em compensação meu sogro não desgruda ...

    ResponderExcluir
  2. Ainda existe muito preconceito em relação a nós mães que ficamos em casa ou que (tentamos) exercer alguma atividade a partir de casa. Percebo que, felizmente, essa cultura e mentalidade começa a mudar, mas é um processo lento... Beijos, Fabi Fontainha

    ResponderExcluir
  3. Lou, infelizmente muitos maridos só valorizam a mulher que trabalha fora, pois o trabalhar fora é sinônimo de ocupação. As mães que ficam em casa soam como desocupadas e que não fazem mais do que a obrigação de dar conta de td sem reclamar. É um desabafo sincero para que os maridos caiam na real né???

    ResponderExcluir
  4. Dia-a-dia de mãe é bem corrido assim mesmo
    que ninguem duvide
    bjs
    Lele

    ResponderExcluir
  5. Lou perfeita carta amiga! Digo que já trabalhei fora muitos anos e o trabalho mais exaustivo que tive foi o atual! Trabalhos e trabalhamos muito!

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu post. Quem fica em casa não é valorizada, e olha temos um super trabalho. Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi Louise, muito legal a sua carta. Uma vez eu cheguei a fazer uma dessas para o meu marido. No meu caso eu trabalho fora, mas em paralelo atendo a muitas demandas da casa, decisões, etc. Deixo tudo organizado entes de sair, sou solicitada por telefone diversas vezes, tomo decisões por telefone diversas vezes e quando chego eu fgaço mais mil coisas. Ele ajuda em casa, mas quando sai para trabalhar não é acionado nenhuma vez. Aí não entende o quanto essa demanda me cansa.
    Mas a minha carta eu não publiquei. Fiquei com vontade de revê-la agora.
    beijos
    Chris

    ResponderExcluir