Maternidade Pelo Mundo: A vida nova de Jardelly! (@maenabolivia)

💙
21 dezembro 2015
(Foto: Acervo Pessoal Jardelly)


Oi gente, tudo bem?
Demorei em escrever a segunda do meu relato, pois estava em semanas de prova na faculdade e andei um pouco afastada da internet para estudar! Mas vamos voltar a minha história! Preparem os lencinhos!

"Cheguei em Santa Cruz no dia 28 de fevereiro de 2013. Fiz minha inscrição na faculdade, e na primeira semana de Março eu já estava estudando. Foi numa dessas aulas que algo tocou meu coração ao olhar para o meu professor. Mal sabia eu que hoje, ele seria meu marido! Sim, meninas, eu me apaixonei e me casei com o meu professor!
Na primeira semana foi somente uma apresentação, troca de sorrisos e olhares. Depois aos poucos é que tudo começou!

Ele começou a aula dando dicas para os estrangeiros, e lembro muito bem como ele falava!
Ele fez uma brincadeira do tipo: "Quem tem namorado (a) no Brasil? Bom, se vocês tem, podem esquecer! Ele (a)  já está com outra (a)!
É muito difícil um namoro a distância dar certo. Falo por ver constantemente alunas chorando e desesperadas pois o namorado do Brasil resolveu terminar a relação!" 

E essas foram suas palavras na aula de apresentação! E eu, bem eu, estava bem quietinha, mas ao ouvir isso comecei a rir, pois uma amiga que estava ao lado tinha seu namorado no Brasil (e fato, eles terminaram! rs)  ele me olhou lá de cima e me perguntou: "Eu tenho cara de palhaço?!"
( sim ele falou isso, e eu fiquei  com a cara lá no chão, querendo cavar um buraco que nem tatu, sabe?
Eu, muito sem graça, disse que não tinha nada a ver com ele e pedi perdão.
Ele então me perguntou se eu era uma dessas mocinhas que tinha namorado no Brasil e eu prontamente respondi que não, que era solteira, com um riso já envergonhado, mas ao mesmo tempo que chamasse a atenção! 

Nessa mesma semana minha amiga adicionou ele nas redes sociais, e outros alunos também, assim eu acabei fazendo o mesmo, e não foi que o bendito lembrou de mim?! Já foi logo puxando assunto sobre o que aconteceu. Daí começamos a conversar e  nos falamos por umas trés semanas (todo santo dia)  e nas aulas era um olhando para o outro, disfarçadamente claro, ninguém chegou a perceber, só minha amiga que já sabia de tudo que estava acontecendo.


A história mesmo começou quando tínhamos um trabalho da faculdade para apresentar e eu e meu grupo, nos reunimos para estudarmos. O fato é que o trabalho era bem complicado e um dos participantes teve a brilhante ideia de chamar o professor (sim, ele de novo!rs) para nos auxiliar!

O Doutor então, sabendo que eu estaria lá, já que ligaram do meu celular (e até hoje acho que isso foi armado!) correu para nos atender!
Após o trabalho ficamos todos conversando, comendo umas coisinhas e eis que surge um violão e o Doutor, sim, ele mesmo, toca uma linda música e dedica à mim!
Meninas, nessa hora nem preciso dizer que eu fiquei roxa de vergonha e o clima já estava mais que percebido pelos meus amigos!

Na hora dele ir embora, ele me pediu que eu o levasse até o portão e chegando lá, ele abriu o carro e saiu com um MARAVILHOSO buquê de rosas vermelhas!
Gente, não tem como! A-P-A-I-X-O-N-E-I na hora né?
Mas, não sou dessas, me contive e continuei a manter contato somente pelo bate papo, afinal ele era meu professor!
Só que mais ou menos um mês depois das aulas começarem ele teve um desentendimento com a Faculdade e acabou se afastando do cargo, o que foi ruim, mas em partes foi ótimo pois ele já não era mais meu professor e não teria problemas nenhum eu estar apaixonada por ele!
Então, ele todo romântico me convidou para jantar e fomos a um restaurante japonês. Nesse dia nada aconteceu. Foi apenas, mágico.
Com uma semana saindo com ele, fui surpreendida com um pedido de namoro, em seis meses juntos eu engravidei!

Eu mesma não percebi que estava grávida. Engravidei em Setembro e só descobri dois meses e meio depois. Bem, eu não né, meu marido!
Ele como bom médico que é, foi percebendo todos os meus sintomas de início da gestação: sono, falta de ânimo, oscilação de humor, desejos, sabor de ferro na boca, ânsia para escovar os dentes, tonturas! Tive uma em uma das aulas de anatomia e quase abracei um cadáver! rs

Mesmo com todos esses sintomas, estar grávida era algo que não passava na minha mente.Até que um dia meu marido me chamou para visitar a mãe de um amigo que estava internada, quando na verdade minha ficha caiu e a enferemeira veio me pedir o braço para fazer um exame de sangue.
Positivo!
Chorei de desespero! Tinha apenas 19 anos, estava no início da minha faculdade e não sabia como seria contar para os meus pais, muito menos saber qual seria a reação deles!

Meu marido ficou enlouquecido de felicidade. Era o sonho dele se tornando realidade e isso me tranquilizou, pois eu saberia que o homem da minha vida estaria ao meu lado, em qualquer circunstância.

Fomos fazer uma ultra e eu estava de 7 semanas e dois dias. O coração batendo forte me fez chorar de emoção!

Tive que criar coragem e ligar para os meus pais. Foi um choque! Na hora não quiseram muita conversa, mas logo no outro dia me ligaram e disseram que me apoiariam também e só assim foi que comecei a de fato curtir a gravidez.



Minhas aulas na faculdade voltaram e eu continuei estudando normalmente, estudei ate os últimos dias, e para não abandonar a faculdade decidi que Enzo nasceria aqui na Bolívia.

Minhas aulas acabaram e na mesma semana o  Enzo nasceu. Graças a Deus pude contar com a presença da minha mãe nesse período tão importante da minha vida, ela ficou comigo durante um mês. E esse foi o período mais emocionante e mágico da minha vida!






Be First to Post Comment !
Postar um comentário